2 de fevereiro de 2010

Sensações

As conseqüências de uma movimentação aparecem com o tempo. Percebemos os passos, quando paramos. Torna-se tão óbvio como notar o fim de uma onda na areia. Vemos a imensidão do caminho e nos sentimos pequenos. Assimilar uma transformação agora, traz a idéia de tudo ter sido um erro. Irrelevância talvez pensar assim, diante do amor. Mas é nesse estado evidente do vazio, que descortino minhas palavras. Somos tolos ao fragmentar um sentimento, egoístas talvez, depreciados. As vezes me sinto assim. Mas por fim mesmo com todos os vulneráveis sentidos, é perceptível uma alegria teimosa que tende sempre a se firmar numa possível verdade. São essas as inclinações que norteiam minha mente. O vazio de uma esperança, quando esta se torna a carência de todo o sonho. São queixas que justificam qualquer falta, mas não substituem à ausência do que eu esperava receber. Não admito reduzir essas minhas emoções a nada, por mais que quisesse fazer. É mais que um impulso neural que leva meu organismo a essas ações. É uma experiência subjetiva associada sim ao meu temperamento, mas que movimenta todas minhas atitudes e me leva a esses motivos. As sensações são tudo. Desde uma válvula de escape até o significado do que não convém. E hoje, tal razão não é plena, mas satisfaz, sendo o caminho de todo o gesto e o guia da minha percepção. Ela conclui e me traz um motivo. Sim, não devo me culpar por isso. Foi pelo prazer que eu cheguei aqui, e eu nunca deixei de ver ao meu lado, a presença que me faz superar toda e qualquer dor. Que meu coração diga o que quiser, que grite, chore e fique sem forcas, diante da espera. Pois quando eu me cerco das lembranças, não vejo mais uma causa que justifique a dor. Vendo os dois lados inversos, tudo parece sem ordem, e sem desculpa para este motivo. Mas eu me mantenho perto do inicio, e percebo que tudo foi preciso. Exato é o que eu acabo de sentir. Únicas e necessárias são essas indagações. Não por eu necessitar de uma prova, mas simplesmente pra perceber mais uma vez. Tornou-se como uma aliança homogenia, um tipo sanguíneo diferente e muito raro. Não em algum momento específico, mas na continuidade do começo que se renova a cada conflito criado em mim. A falta de cada alegria, a presença da indiferença, são hoje realidades próximas e reais. Porém, não sendo impossibilidade de deixar de agir ou de dizer. Esse é o movimento que está adiante dos meus olhos, sendo-me a certeza do futuro, e da saudade do que eu ainda não vivi. Eu não necessito mais de um propósito, porque este já é a minha expectativa. 

Victor Silveira do Carmo

17 Reações:

Ricardo Calmon disse...

Amado mermão,para até aí chegares (respondendo a comentário teu) fácil é pois tens tudo e preparado estás para perceberes e sentires ,um homem,portador de diagnosticos vários,,além de trinta e oito cirurugias, ,aos sessenta e tres anos a vida percebendo,sabedoria dela absorvendo e humildemente exalando,e soprando pois nós todos unos somos PERCEBA!
VIVA VIDAAAAAAAAAAAA

dianaBruna disse...

Muito lindo, nem precisava comentar!
=)
bjinho

Barbara disse...

É incrível a sua capacidade de transformar sentimentos e pensamentos em palavras.
Lendo esse texto consegui entender certas sensações que tenho mas que nunca conseguiria traduzi-las tão bem quanto você! Parabéns! Amei! :D

Andresa disse...

Muito lindooo!!!

Adoreiiii!!! =D

camila souza. disse...

apaixonada sempre (;

Giovanna. disse...

Nossa, fiquei sem palavras. Disse tudo que eu poderia dizer ai. :D amei

Ъook of Loѵε ❦ disse...

tuudo muito lindo aqui *-*
vai lá no meu? me segue que eu te sigo!
beijinhos :*

Natália disse...

Ameeiii..

Anônimo disse...

q lixo vai toma no cu

Thaís A. disse...

Como você disse, acho que tudo foi preciso.. é sim :B tudo na nossa vida tem um propósito, bem, é o que eu penso pelo menos. você escreve bem :D

Erica Ferro disse...

Saudade do que ainda não se viveu... Bem, é uma das piores saudade. :'(

Obrigada pela visita e por estar me seguindo.
Escreves muito bem.

Um abraço.

Enrique Coimbra disse...

Não sei o motivo, mas eu ainda me surpreendo com suas palavras. Jovem, mas cheio de sabedoria. Reflexivo, intenso. Parabéns. É sempre bom SENTIR, ao ler.

Bela Lima disse...

É, você realmente consegue transformar o que sente em palavras, isso é raro e bonito...
Amei!

Erica Vittorazzi disse...

Nossa!!! Você escreve muito bem, parabéns. Adorei!!

Luh* disse...

Muito bom cara! ameii!
e não ligue para anônimos é inveja!
beijos

Matheus Kneodler disse...

Muito Show.Você escreve Muito Bem....Foi bem Profundo..Vc é Show Cara..:P

Maxwell disse...

Vc sempre com suas palavras maravilhosas.

Postar um comentário

Leitores recentes do blog